Resultados

Juvenis tiveram pontuação mais alta que adultos em IRs, observando uma diminuição progressiva e estabilização nos anos vinte. A análise de fatores exploratórios forneceu uma estrutura para a pontuação geral dos RIs, com cinco dimensões de primeira ordem e uma dimensão de segunda ordem. A análise fatorial confirmatória suportou a estrutura com excelente ajuste. A escala REF foi invariante entre sexo e amostras. A consistência interna da escala completa foi excelente e aceitável entre os cinco fatores de primeira ordem. Foram encontradas fortes relações com a dimensão positiva da avaliação comunitária da experiência psíquica-42, bem como com saliências aberrantes. Foram encontradas relações baixas e moderadas com auto-consciência pública, ansiedade e depressão. Jovens e pacientes diagnosticados com esquizofrenia e outros distúrbios psicóticos tiveram uma alta freqüência média de IRs. Sexo masculino, maior idade (entre os adultos), e as “explicações causais”, “Canções, jornais, livros” e “rindo e comentando” os assinantes do REF mostraram poder de previsão nas categorias diagnósticas de esquizofrenia e outros transtornos psicóticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *